terça-feira, 21 de dezembro de 2010

dois meses e alguns dias..

Eu estou vivendo uma coisa muito boa. Aquela coisa que a gente suspeita que nunca vai acontecer. Aconteceu.

.Caio Fernando Abreu


Tudo tem passado tão rápido, mas não deixamos de notar nenhum detalhe e todas as suas pequenas perfeições. Estamos cada dia mais apaixonados por esse nosso serzinho que é uma mistura perfeita de nós dois. Todo dia coisas novas acontecem. Pode não parecer, mas bebês nos surpreendem a cada dia quando acordam com aquele sorriso no rosto desejando bom dia sem nem ainda saber pronunciar uma palavra. E nem precisa, pois são essas pequenas alegrias que faz cada dia valer a pena. Gostaria muito de fazer um relatório diário contando todos os detalhes do quem vem acontecendo, mas não dá e é tudo muito íntimo e único.

Só quero desejar muitas alegrias às futuras mamães, as novas mamães e aos papais babões...

Pelas mudanças que a vida passa, essa é simplesmente a que mais faz sentido.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

das coisas que não se aprende na escola


Nunca pensei que seria fácil, mas assim como privilégio de gerar e parir uma criança não vem com manual de instruções, o privilégio de se ter a intuição aguçada pelo laço mãe e filho também não tem explicação e nem mesmo o que qualquer outra mãe te diga como é ou o que fazer, só você e ninguém mais sabe o jeito certo e único de tentar fazer com que nada saia fora do eixo. Que o semblante de uma mãe zelosa não dê espaço para um sorriso forçado misturado com pânico. A sensação que vivo hoje entra pra listinha de coisas que não tem explicação alguma, apenas são perfeitas pelo simples fato de existirem. Todo dia é uma novidade e um teste de paciência, respeito e carinho. O primeiro banho, a primeira cólica, o primeiro passeio, o primeiro xixi na roupa limpa, o primeiro sorriso... Estou anestesiada, compartilhando felicidade e aprendendo a levar a nova vida com um novo ritmo. Cada dia quando acordo (seja de manhã ou de madrugada) começa um novo teste de resistência, onde sentar e respirar fundo nunca se encaixaram tão perfeitamente no exercício de acalmar os ânimos.

Agradeço todos os dias por ser privilegiada e poder viver cada um desses dias.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Só as mães são felizes



Acredito que o trabalho de parto normal é a única experiência válida capaz de mostrar o quanto o sexo frágil não é tão frágil assim. Por uma única vez pensei em desistir e partir para algo `menos` dolorido e mais fácil de amenizar toda aquela dor que se arrastou madrugada a dentro até quase o meio dia do outro dia, mas não desisti. Descobri em mim um tipo de mulher maravilha com super poderes e coragem de sobra. Descobri também que as pessoas até podem desistir de mim, mas eu nunca. Me pediram para descrever como é a dor do parto, assim como muitas mães já tentaram me descrever como era. Eu não fazia idéia e certamente você que está aqui acompanhando também não imagina como seja. É uma cólica? Sim, é uma cólica. Mas de nada adianta eu descrever como é, pois é uma dor e um momento extremamente nosso. É uma dor que não se escreve e nem se mede da mesma forma que o amor que carrego dentro de mim agora. É algo que nos transforma em alguém que jamais imaginei ser capaz de ser transformada. Só posso resumir e dizer que a dor é horrível, que passei horas de angustia e ansiedade, mas que hoje, de tanto amor que carrego aqui dentro, nem faço mais idéia de quão dolorido é. Passou e Mateus nasceu tão lindo e cheio de vida que assim que o vi fui anestesiada por uma felicidade tão única que toda a dor e o desconforto da posição que eu me encontrava deram lugar a várias gargalhadas e um choro bobo que se derretia com o primeiro chorinho dele.

Ele nasceu em uma data um tanto quanto curiosa: 10/10/10 e o parto estava previsto para depois do dia 16/10.

Mateus nasceu com 3.490kg e 52cm.

-

Fiz parto normal, pelo SUS no Hospital Min. Costa Cavalcanti.

Obrigada a todas as enfermeiras e plantonistas que me atenderam extremamente bem, correu tudo melhor do que o esperado.


quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Amanhã não se sabe II

Aos que ainda se atrevem a me perguntar por que sumi, apenas acaricio a minha barriga. Tenho tido dias lindos, que por serem lindos parece que passam cada vez mais devagar. São dias de sol ou de chuva extremamente lentos em seus relógios. Saio para caminhar em companhia de vitrines que refletem meu estado de vida e de espírito. Agora falta pouco e toda noite antes de dormir a expectativa fica maior, como se em qualquer hora da noite meu pequeno Mateus resolvesse aparecer. Como se isso só fosse possível à noite!!! Que durante o dia em minhas caminhadas pelo centro isso não fosse possível também... vai entender!

Esperar é o que mais tenho feito nos últimos dias.

Esse texto eu comecei a escrever no sábado (09/10) à tarde em companhia de um dia lindo de sol que resolvi interromper (o texto) para sair para caminhar com o meu amor. Andamos pela avenida principal. Lanchamos, fizemos compras, rimos e conversamos enquanto caminhávamos em passos lentos sem muita direção, pois até em tão tudo indicava que seria um típico sábado de sol, mas sem muitas novidades. São dias assim que fazem a diferença em um calendário qualquer...Foi então que no começo da noite tudo mudou. A bolsa estorou e o nervosismo misturado com risadas, lagrimas e um medo feliz tomou conta da gente. Estava chegando a hora! Passamos quatorze horas no hospital, eu na sala de pré-parto e ele lá fora com quase toda a família sem saber ao certo o que estava acontecendo, se já estava nascendo ou não. Entre liquido amniótico e fortes contrações fui me sentindo cada vez mais mulher, deixando pra traz o lado menina e sendo cada vez mais forte, assim como as contrações que foram aumentando no decorrer da madrugada. Confesso que quase desisti implorando por uma anestesia e uma cesárea, mas o lado corajoso, que eu nem sabia que existia em mim, realmente estava comigo. Fui firme até o final e só me desmanchei mesmo quando vi aquela carinha enrugada e aquele chorinho que me derreteu por completo. Eu já não tinha mais forças, mas ainda tinha os dois braços para segurar meu pequeno Mateus pela primeira vez e que chorava e me fazia rir e chorar junto ou mesmo tempo.


Nunca me senti tão feliz e realizada em toda a minha vida.

Nosso príncipe já está com onze dias de vida e a cada dia que passa estamos mais apaixonados por esse pequeno biscoitinho que é só motivos de felicidades e sorrisos sem ter fim.

(o próximo post é sobre o parto, prometo)

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

A beleza da maternidade


Vale a pena compartir:

-

Quando a mulher descobre que está grávida, duas heroínas passam a povoar o inconsciente das mulheres. Uma é a Virgem Maria, símbolo da abnegação e pureza da maternidade. A outra é Eva, fêmea tão sensual que fez o primeiro homem da Criação perder a cabeça. Até pouco tempo atrás, a imensa maioria das mulheres grávidas era vista como Maria. Ou seja, deixava aflorar o lado mãe, rechaçando completamente sua porção "fêmea". Hoje, as coisas estão mudando. As barrigudinhas não abandonaram o seu ar angelical, mas também não dispensaram o direito de continuar sendo vistas - mais do que nunca - como mulheres completas. Querem ser Evas.

Hoje, a mulher abandonou os famosos "modelitos" próprios para gestantes: com babadinhos e fitinhas cor-de-rosa, completamente não-femininos. E adotou um visual mais "clean": com roupas sensuais e até ousadas.

A mulher sabe que a barriga é o espaço do bebê, mas pode e deve ser uma barriga bonita. As suas formas permitem até o uso de miniblusa e biquínis.

Para conservar-se bela durante todo o período de "espera", valem algumas regras: nunca fazer regime durante os 9 meses, esquecer o conceito de "comer por dois" e, principalmente, fazer uma alimentação equilibrada com 6 pequenas refeições diárias e muita água.

Em termos estéticos, nem é preciso lembrar que a gula durante a gravidez é o detonador de transtornos como flacidez no busto, inchaço nas pernas, varizes, estrias e celulite. De acordo com especialistas, o ganho de peso durante a gravidez deve flutuar entre 4 e 10 quilos. Para se ter uma idéia, um bebê considerado grande representa apenas 3,5 quilos dentro da "engrenagem" da gestação. O útero que normalmente pesa 70 gramas, chega a 1 quilo. A placenta varia entre 500 e 800 gramas e o líquido amniótico geralmente pesa um quilo. Influem ainda no peso, a retenção de líquidos pelo corpo e o maior volume das mamas, que ganham cerca de 500 gramas.

Não podemos esquecer que os fatores ANSIEDADE e MEDO acabam por favorecer sobremodo esse ganho de peso, visto que a mulher grávida acaba comendo mais em função do que está sentindo.

Cultivar a auto-estima também é uma excelente forma de amenizar algumas alterações que surgem com a gravidez. Devemos lembrar que a gravidez não é uma doença e não existe qualquer patologia que faça a mulher grávida ficar feia. O bem-estar durante essa fase depende diretamente do seu estado emocional, da manutenção de uma vida sexual normal e da prática de exercícios.

Quando a futura mamãe faz uma ginástica suave, o seu organismo libera endorfina, hormônio que provoca a sensação de tranqüilidade. Convém ressaltar ainda, que as emoções maternas são percebidas pelo bebê que habita seu útero.

De objeto de desejo à fonte de alimentação, os seios, nesse período passam a ser chamados de mamas. Durante a gravidez eles se tornam maiores e é importante que se use sutiãs maiores e mais firmes. É bom lembrar que a lactação não é responsável pela flacidez. Ou seja, relaxe e aproveite ao máximo o ato de amamentar, um contato saudável e fundamental com seu filho.

Hoje, a indústria de beleza apresenta várias alternativas em produtos específicos para gestantes: cremes, filtros, shampoos, tinturas, etc. Portanto, aproveite bastante este momento tão especial na vida de uma mulher. Ao mesmo tempo que curte seu filho crescendo dentro de você, use e abuse do seu charme e sensualidade.

E lembre-se: quanto melhor o relacionamento com seu parceiro, melhor o vínculo com o filho que está chegando.

Boa Sorte!

Clarice Skalkowicz Jreissati
Psicóloga

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

37 semanas

Faltam 15 dias!



O bebê está medindo 35cm e pesando 2950g.nAgora não há grandes mudanças, o bebê cresce e ganha peso. Ele está maduro e pode nascer a qualquer momento, principalmente a partir do fim dessa semana. O bebê já está na posição que irá nascer, fazendo o médico decidir se vai ser parto normal ou cesárea.
A cabeça, do bebê, na maioria dos casos, está encaixada na cavidade pélvica -- cercada e protegida pelos ossos da sua pelve. Essa posição abre espaço para as pernas e o bumbum do bebê, que estão bem apertados dentro do útero.
Muitos bebês já são cabeludinhos, com fios de cabelo de até 2,5 centímetros. Mas não se surpreenda se a cor do cabelo do seu filho for totalmente diferente da do seu. Casais de cabelos castanhos são pegos de surpresa às vezes com um filho bem loiro, e o contrário também acontece. E há, é claro, aqueles bebês que nascem totalmente carecas.
Por falar em cabelo, a maior parte da camada de pêlo fininho, o lanugo, que cobria seu bebê a partir da 26a semana já desapareceu, assim como a maioria do verniz caseoso, a substância esbranquiçada e viscosa que também envolve o corpo dele.
O bebê vai engolir o lanugo e o verniz junto com outras secreções, e eles ficarão armazenados no intestino, para formar o primeiro cocô do seu filho, uma substância escura, quase preta, chamada mecônio.

(internet)

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

amanhã não se sabe I

O quarto já tem cheiro de neném e u não me canso de entrar, abrir as portas e ver se tudo está ali realmente, cada coisinha em seu lugar. Coisinhas mesmo, pois são tão pequenas e delicadas, que ontem, por cinco minutos secretos me vi como que brincando de boneca outra vez. Roupinhas tão miúdas, pequenos pares de meia que se perdem na palma da mão. Chacoalhei a cabeça, a vida real tá bem aqui. Não tenho me sentido muito segura, tenho sofrido de medos futuros sem nem saber o que me espera e não tá sendo legal essa agonia por antecipação. Mas vamos lá, pois falta pouco e tudo o que é feito com amor tem bons resultados. A mala da maternidade já está pronta e todo dia lembro ou leio recomendações e parece que todo dia alguma nova recomendação aparece. Não faço idéia de como vai ser a correria do dia, mas tenho me dedicado para conseguir deixar tudo em ordem.

Toda noite antes de dormir confiro as coisas da mala, o telefone do médico e meu estado de espírito. Às vezes choro, um desabafo silencioso que muitas vezes até lava a alma.


Deito ansiosa e acordo feliz.

Está tudo bem, meu bem.

sábado, 25 de setembro de 2010

36 semanas

Confesso que já conto em dias - faltam 21 dias!!!!

-

Certifique-se de que tem na mala os produtos de necessidade básica do bebé para levar para a maternidade
- Compre soutiens de amamentação
- Faça um plano do que vai acontecer no parto e visite a maternidade em questão
- Se possível encha a despensa de comida e produtos para a casa
- Decida quem quer ter em casa para a ajudar quando o bebé nascer
- Se já escolheu a maternidade informe-se sobre as regras do mesmo em relação ao internamento e às visitas

A mãe

No fim destas semanas é natural que a cabeça do bebé se acomode na sua pélvis ao preparar-se para o nascimento. Consequentemente todo o corpo do bebé vai descair o que causará menos pressão nos seus pulmões e assim poderá respirar melhor. Por outro lado, a pressão na bexiga será maior. E, vai ter uma sensação de “estar cheia”, podendo aparecer veias dilatadas na sua vulva.

Como a barriga está muito grande vai ser difícil encontrar uma posição confortável para dormir. Por vezes ajuda deitar-se de lado com uma almofada por baixo da barriga e outra entre os joelhos. Deve evitar deitar-se de costas pois pode sentir-se mal ou tonta, para além de que reduz o fluxo de sangue para o bebé.

Os músculos e ligamentos ao redor da pélvis estão a tornar-se mais amolecidos para facilitar a abertura da mesma durante o trabalho de parto.

É normal que se sinta inchada, em especial nas pernas e tornozelos, principalmente no fim do dia. Se for de um modo exagerado, fale com o seu médico pois pode ser um indício de pré-eclâmpsia.

É natural que se sinta ansiosa em relação ao bebé e ao parto que se aproxima. Esta ansiedade, juntamente com o excesso de peso e cansaço, pode conduzir a alterações de humor, irritabilidade e até depressão. Irá fazer-lhe bem conversar sobre o que a preocupa com o seu companheiro, uma amiga, o seu médico ou psicólogo. Estão lá todos para a ajudar!

O bebê

O bebê está a engordar rapidamente. Todos os órgãos estão agora totalmente formados com excepção dos pulmões, que embora ainda não completos já produzem um fluido que os mantém prontos para respirar. Já consegue piscar os olhos e focá-los um pouco. As unhas já cresceram chegando ao fim dos dedos das mãos mas estão mais pequenas nos dedos dos pés.

O que fazer

Certifique-se de que já tem todos os artigos necessários para o bebé, incluindo as roupinhas e as fraldas. Se pretende amamentar, está em boa hora de adquirir soutiens de amamentação. Tenha em atenção que os seios aumentam quando estão cheios de leite.

Se ainda não o fez, escreva uma planificação do que vai acontecer no parto. Caso seja possível, faça uma visita guiada na maternidade que escolheu para o parto para se familiarizar com o espaço e as rotinas.

Quando fizer compras para casa compre tudo a dobrar (ou a triplicar) de modo a encher a despensa, o frigorifico e o congelador, para não ter que se preocupar com as comprar durante algum tempo depois do bebé nascer.
Faça a mala com tudo o que necessita para levar para o hospital.

Todas as gravidezes são diferentes. Cada caso é um caso por isso não se preocupe se o que sente não for exatamente igual ao descrito aqui.

(internet)

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Colestase obstétrica


Parece que tem um monte de formigas andando em cima de mim!

-

O que é colestase obstétrica?

A colestase obstétrica (também chamada de colestase intra-hepática da gravidez) afeta o fígado, órgão que em algumas mulheres é sensível demais aos hormônios da gravidez. O fígado normalmente produz a bile, que vai para o intestino, onde ajuda na digestão. Quando há colestase obstétrica, o fluxo de bile para o intestino é reduzido, e a bile se acumula no sangue.

Como a colestase da gravidez é diagnosticada?

Seu médico pode desconfiar de colestase em caso de coceira. Mas também há outras causas possíveis para a coceira, como a própria distensão da pele. A coceira associada à colestase obstétrica normalmente começa nas últimas dez semanas da gravidez, é constante e muitas vezes intolerável. Exames de sangue verificam a função hepática, mas pode demorar algum tempo, depois do início dos sintomas, para os resultados mostrarem o problema.

Outro exame recomendável é o ultra-som para detectar a possível presença de pedras na vesícula, que possam estar bloqueando o fluxo da bile. Cálculos na vesícula são raros na gravidez, mas as mulheres que têm colestase obstétrica também têm predisposição a ter pedras na vesícula, por isso as duas coisas podem ser concomitantes.

A colestase da gravidez prejudica o bebê?

A probabilidade de o bebê nascer morto é 15 por cento maior em mulheres que têm colestase obstétrica. Não se sabe exatamente a explicação -- podem ser os ácidos da bile, ou a privação de oxigênio, ou talvez problemas na placenta.
Por isso, o objetivo do tratamento é fazer o bebê nascer assim que seus pulmões estiverem maduros para sobreviver fora do útero, a partir de, mais ou menos, 35 semanas.

Como se trata a colestase obstétrica?

Os médicos usam medicamentos especiais para reduzir a coceira e a acidez da bile. A vitamina K pode ser administrada para diminuir o risco de hemorragia na mãe e no bebê depois do parto.

Quem apresenta colestase na gravidez deve ser submetida a um novo exame para avaliar a função hepática entre um mês e meio e três meses depois do parto. Se os resultados ainda estiverem alterados, a paciente precisará consultar um especialista.

Também é recomendável fazer um novo ultra-som para detectar pedras na vesícula, além de evitar pílulas anticoncepcionais que contenham estrogênio.

Como suportar a coceira?

Para tentar amenizar a coceira, você pode tentar:

• Usar loções com calamina
• Usar cremes à base de camomila ou calêndula
• Usar roupas leves e de algodão
• Evitar lugares quentes e úmidos

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

35 semanas

Começo a partir de hoje uma contagem cheia de amor e ansiedade. Uma contagem cheia de planos, curiosidades e alegria sem fim. Mas conto devagar na esperança de conseguir segurar meus medos e minha ansiedade na medida para que nada seja inesperado demais, mesmo essa sendo a minha vontade mais secreta. Me sinto preparada mesmo nem fazendo idéia de como vai ser dali em diante, os dias, as horas, os planos...

Sobre o Mateus:

A partir dessa época, os pulmões produzem uma substância chamada surfactante, que faz com que eles sequem e deixem de ser imaturos. O bebê nessa semana já pode "descer", deixando a barriga mais baixa. Devido ao ganho de peso, ele já é um bebê "gordinho". Como o bebê "desceu", ele não pressiona tanto os seus órgãos e você respira melhor, mas pode sentir dores na parte inferior da coluna.

Conversas:
Seu bebê escuta desde cedo e reconhece a voz da mãe mesmo dentro da barriga. Converse muito com seu bebê, diga o quanto ele é querido e amado por você e pelo papai. O bebê sente todo esse carinho e fica mais tranqüilo.

Se durante a gestação a mamãe ou papai cantar sempre uma música para o seu bebê, pode se preparar que vocês terão surpresas após o nascimento do nenezinho. Sabe por quê? Simples, porque o bebê se acalmará ao escutar a canção que o embalou durante boa parte da gravidez, assim como ficará mais tranqüilo ao ouvir a voz da mamãe.

-

Estou meio atrasada, eu sei. Mas queria agradecer a todo mundo que compareceu ao chá do Mateus! Fui tudo lindo, divertido e sossegado. Vários presentinhos fofos e muito carinho!

;)

sábado, 11 de setembro de 2010

34 semanas

Dia de muito trabalho para deixar, ou pelo menos tentar deixar, tudo pronto para amanhã. Sou meio travada nessa área de ser anfitriã, mas vamos lá. Amanhã é o dia e cada dia é um a menos pro nosso príncipe chegar.

Sobre a gestação: não vou falar das dores, pois elas são só o lembrete de que algo está acontecendo aqui e que elas, as dores, não são em vão.

Sobre o Mateus: ele está ficando cada vez mais gordinho, pois vai precisar da camada de gordura para conseguir controlar a temperatura do próprio corpo depois que nascer. Este é o momento certo para começar a conversar com o bebe, como se eu já não o fizesse desde o primeiro dia! Na 35a semana de gestação a audição do bebê está completamente desenvolvida. Ele já se prepara para o parto. Os ossos já estão fortificados, mas os do crânio ainda não estão conectados, o que facilitará na hora de nascer.
O que sente?

Mateus mostra diferentes reações perante a minha voz, a voz do João ou a vozes mais agudas como voz de criança. Seu peso médio é de 2 kg. Ele já abre e fecha os olhos (quando está acordado ou quando está a dormir).

terça-feira, 31 de agosto de 2010

para mateus III


O apartamento já não está mais vazio como a alguns dias atrás. O cheiro de tinta fresca se perdeu pelas janelas abertas e se misturou perfeitamente em harmonia com o calor do dia. Tantas cores novas e bonitas. Tantos detalhes para colocar em ordem ainda. O seu quarto está engatinhando nos tons que escolhemos para você e todos os dias temos uma idéia nova, uma vontade nova, uma nova esperança para tudo o que vem vindo.

Já estamos a uma semana de endereço novo. Procurando a cada dia deixar tudo em ordem para a sua chegada.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

compartilhando felicidade~


Não vejo mais meus pés quando estou em pé. A barriga já começa a doer devido ao peso do Mateus. Já sinto pezinhos empurrando minha costela, o que também não é muito confortável, mas ao mesmo tempo é a maior prova de como às vezes somos insignificantes quando o assunto é felicidade. A lombar dói demais no fim do dia, se fico em pé dói, se fico deitada dói. Sinto falta de ar e muita sede. Canso muito rápido e só consigo dormir semi sentada e do lado esquerdo. Uso as roupas do João e até as do meu pai, porque as minhas ficaram só na saudade e eu mesma que optei por não gostar dinheiro com roupas de gestante, super me adaptei bem com as peças que fui adquirindo em guarda roupas alheios hehehe.

Isso aqui não é uma lista de reclamações, mesmo porque está pequena demais. Brincadeirinha. É só pra dizer que tudo está fluindo como deve ser, que cada vez que sinto minha barriga mexer é a lembrança de que coisas boas não pedem licença, chegam e nos invadem. Acontecem e não se questiona o porquê, apenas vive-se.

Já estamos na casa nova e hoje foi dia de faxina no quarto do Mateus e também no escritório. Procuramos deixar tudo em ordem, para que tudo siga bem até o dia do pequeno príncipe chegar.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

7º Mês de gestação

31 semanas. Parece faltar tão pouco que nem reclamo mais do tempo que não passa. Estamos na reta final e cheios de detalhes para colocar em ordem, mas estamos todos muito bem.

Sobre o Mateus:


Os braços, as pernas e o corpo todo do bebê continuam sendo recheados de tecido adiposo -- e finalmente os membros são proporcionais em relação ao tamanho da cabeça. Ele pesa cerca de 1,5 quilo e já se parece mais com um recém-nascido. O comprimento total é de 41 centímetros.

Talvez você perceba que seu bebê não está mais fazendo tantos movimentos bruscos quanto antes. Não se preocupe, a questão é que está faltando espaço. Desde que você sinta algum movimento, não há problema. Acredite se quiser, ele ainda tem muito o que crescer. O bebê vai ganhar mais quase 1 quilo antes de nascer.

Os órgãos do seu bebê continuam a amadurecer, e ele já urina água, num treino do trato urinário para depois do nascimento. Exames que produzem imagens do cérebro já mostraram que, por volta do oitavo mês de gravidez, os fetos têm padrões de sono característicos da presença de sonhos.
Não se assuste se tiver engordado 2 quilos só este mês. É normal no último trimestre ganhar quase meio quilo por semana, já que o bebê está crescendo rápido para se preparar para nascer. Se estiver calor, o inchaço natural desta fase, causado pelo acúmulo de líquido, pode contribuir para seu aumento de peso.

O que sente?

As pálpebras abrem-se e já sentem a luz exterior. Agora o bebê é mais sensível à luz e à escuridão. Também consegue "dançar" dentro do útero ao ritmo da música e mostra preferência por algumas canções. Adquire a aprendizagem condicionada e uma personalidade própria: mostra o seu desagrado batendo com os pés e responde com movimentos harmoniosos quando a mãe massageia a barriga.


(fonte: internet)

quinta-feira, 12 de agosto de 2010

Gestante a bordo


João sempre me questiona se a forma que tenho usado o cinto de segurança agora na gestação está correta, pois bem, fui atrás de informações e aqui vai um texto da internet pra quem também tem dúvidas a respeito. Minha barriga está super grande e o cinto não incomoda em nada, então independente do tamanho da barriga da gestante jamais andar sem cinto de segurança por aí, hein!

Sendo motorista ou passageira:

Primeiro certifique-se de encaixar a parte de baixo do cinto abaixo de sua barriga. O cinto deve ficar bem colocado na região pélvica. Utilize sempre o cinto de três pontos, passando sobre o ombro. Ele deve cruzar sua barriga e se posicionar entre os seios. Se incomodar no pescoço, tente mudar a posição do assento para que se encaixe melhor. Nunca use o cinto de baixo por cima da barriga, porque no caso de um acidente, o impacto de uma desaceleração repentina pode afetar a placenta e até causar um descolamento.

O cinto de três pontos é projetado para segurar seu corpo nas partes em que ele é mais resistente, isto é, os ossos. Isso explica por que ele tem de passar em cima dos ossinhos do seu quadril e do esterno, o osso que forma a caixa torácica. No banco traseiro de muitos carros, os cintos de três pontos costumam ficar nas laterais, portanto prefira se sentar nestas posições, em vez de no meio.

Lembre-se de que seus ossos, músculos e órgãos, além do líquido amniótico, formam uma barreira para o bebê e ajudam a mantê-lo seguro. A melhor forma de protegê-lo mais ainda é protegendo a você mesma, ou seja, usando o cinto de segurança.

Riscos mais freqüentes em gestantes que não usam o cinto de segurança
• Óbito fetal
• Baixo peso ao nascimento
• Prematuridade
• Descolamento prematuro de placenta
• Hemorragias no parto
• Rotura uterina

quarta-feira, 21 de julho de 2010

6º Mês - Ontem sonhei contigo



O que sente?

O bebé já é capaz de perceber se a mãe está relaxada ou tensa. Os sinais traduzem-se em pontapés frequentes, mudanças bruscas de posição ou excesso de sucção do polegar. Quase todos os sentidos funcionam. Tem tato em toda pele . Chora e quase sorri. Sente gosto e cheiro. Distingue claro e escuro. A audição está totalmente pronta e as vozes lá fora vão habituá-lo à língua.


As pálpebras encontram-se entreabertas, começam aparecer as unhas, a pele é bem rosada, presença de bastante vernix , pelos e sobrancelhas. A pele é enrugada, começando o depósito de gordura sob a pele.


Que estímulos necessita?

No útero, o bebê criou o seu próprio lar. Ele mesmo já percebe que mexe os braços e que faz movimentos no líquido amniótico que lhe proporcionam sensações agradáveis. É aconselhável sempre massagear a barriga, esta­belecendo assim cada vez mais a relação de vocês dois.

Métodos mais eficazes

Tranquilize o bebê sempre que o sentir mexer de maneira inquieta. Mamãe: sente-se mais incomodada pelo tamanho e peso do útero. A coluna vertebral se curva para frente, as articulações pélvicas começam a relaxar para permitir a passagem do bebê no nascimento.Recoste-se numa posição confortável e faça uma massagem desde o umbigo até ao peito. É essencial o uso de um óleo ou hidradante, ouvir uma música calma ou cantar baixinho. Feche os olhos e imagine o bebê no útero.

É o seu momento com o bebê.


(internet)

sexta-feira, 16 de julho de 2010

A ciência explica como brota seu amor pela criança

O elo que existe entre pais e filhos é uma das ligações mais fortes da natureza. Prova disso é que a vida amorosa de todos nós pode ser feita de muitos encontros e desencontros ou de romances que dão certo e depois acabam, mas aquilo que se estabelece com um bebê, lá nas primeiras semanas dele, dura para sempre.

A questão é que o amor por uma criança não é intelectual ou cultural -- ele é sim um componente básico da formação de todos os seres humanos. E isso independentemente de se ser mãe ou pai, ou pais biológicos ou adotivos, já que somos programados para formar laços fortes com os filhos e eles conosco.

Ao longo de anos de pesquisa, cientistas e especialistas em desenvolvimento infantil vêm descobrindo detalhes fascinantes sobre essa conexão tão ímpar entre pais e filhos. São fatos que ajudam a explicar por que é praticamente "viciante" ficar perto de um bebê e por que continuamos a amar os filhos tão profundamente mesmo depois que eles crescem, apesar de todas as birras, brigas e malcriações.

Claro que aquilo que você sente por seu filho muda com o decorrer do tempo, porém a relevância do sentimento nunca deixa de ser parte fundamental de sua vida.

Gravidez: Amor antes da primeira vista

Não se surpreenda de já amar o bebê antes mesmo de ele nascer. Futuros pais e mães geralmente são invadidos por uma grande mistura de emoções e ansiedades, sentimentos que realmente dão o tom da futura relação com o filho.

Os hormônios que circulam no corpo de uma mulher grávida (e que ficam mais potentes a cada semana de gestação) também ajudam a alimentar a conexão com o bebê.

À medida que a data do parto se aproxima, o cérebro começa a produzir cada vez mais oxitocina, um hormônio que literalmente auxilia a trazer à tona a "mãe" que está dentro de você.

Também conhecido como o hormônio do amor, a oxitocina é responsável pelo comportamento maternal em animais (muitas vezes representado pela simples limpeza dos pêlos de um filhote). Nas mulheres grávidas, a principal função do hormônio é amenizar a sensação de estresse, ao mesmo tempo em que cria aquela vontade enorme de ver o recém-nascido.

Nos últimos anos, a oxitocina foi assunto de diversos trabalhos científicos bastante sérios. Pesquisas com animais sugerem que ela tem papel fundamental em uma série de comportamentos sociais, que vão da criação dos filhos à formação de relacionamentos duradouros

Mostrou-se, por exemplo, que animais que não produzem oxitocina ignoram suas crias e constantemente buscam parceiros diferentes para o acasalamento. Espécies que produzem o hormônio tendem a ser dedicadas aos filhotes e aos parceiros.

Resumindo: quando a oxitocina circula pelo corpo de uma gestante é como se o amor estivesse correndo por suas veias.

Quanto ao bebê, ele também já começa a formar elos com a mãe ainda dentro do útero. Pesquisas indicam que o coração dele bate ligeiramente mais rápido ao som da voz da mãe, voz que vai animá-lo e confortá-lo por anos a fio.

Se você for o pai ou tiver adotado um bebê, esse tipo de experiência hormonal e proximidade física com a criança crescendo dentro da barriga não acontecerá, mas não se preocupe, porque o vínculo com seu filho não será menor por causa disso.

Bebês e crianças têm uma incrível habilidade de formar fortes elos com qualquer pessoa que cuidar deles e responder às suas necessidades físicas e emocionais.

Você e bebê: Viciados em amor

À medida que o trabalho de parto progride, o fluxo de oxitocina no cérebro e na corrente sanguínea da mãe torna-se abundante. Entre outras funções, o hormônio provoca contrações e auxilia na descida do leite materno.

Quando finalmente nasce o bebê, a mãe está praticamente "intoxicada" de oxitocina, que a faz esquecer da exaustão do parto e da dor e traz euforia e uma intensa sensação de amor. De acordo com o pediatra e especialista em desenvolvimento infantil Marshall Klaus, esse efeito da oxitocina ajuda a explicar por que bebês quase nunca são abandonados em hospitais onde as mães podem segurá-los e amamentá-los logo em seguida ao parto.

E os papais de primeira viagem também não ficam imunes a esse poderoso hormônio ao olhar para os filhos pela primeira vez. São também invadidos por uma onda de amor, muitas vezes tão vigorosa que os deixa tontos dentro da sala de parto.

As mudanças biológicas nos pais também são profundas. Um estudo canadense de 2001 mostrou que os níveis de testosterona masculinos tendem a despencar, pela primeira vez, durante alguns meses depois do nascimento dos filhos. Mais intrigante é o fato de que alguns homens começam a produzir mais estrogênio, em um sinal ainda mais contundente do poder transformador da paternidade.

De acordo com a neurocientista Diane Witt, o estrogênio torna o cérebro mais sensível à oxitocina, possivelmente para ajudar os homens a ser mais atenciosos e amorosos.

E segundo a cientista, pais e mães adotivos também desfrutam dos efeitos benéficos da oxitocina e da dopamina, uma outra substância química do corpo ligada ao prazer.

(BabyCenter Brasil)

segunda-feira, 12 de julho de 2010

para mateus II

Lembro a primeira vez que você chutou, assim, pra valer mesmo. Das primeiras vezes era um tipo de cócegas interna, meio borboletas no estomago uma sensação bem leve. O primeiro chute pra valer foi na manha do dia 13/06, um domingo. Depois de uma noite romântica de dia dos namorados o domingo só podia começar assim, muito bem e nós três em completa harmonia. Eu e seu pai ficamos feitos bobos rindo dessa sensação até então extremamente nova. Agora já estamos no sexto mês, os chutes e toda a sua movimentação aqui dentro já é visível, vejo até umas ondas na minha barriga quando você mexe. É tão gostoso sentir tudo isso, viver tudo o que tenho vivido. Confesso que não é muito gostoso dormir de barriga para cima, meio inclinada e quase sentada, mas se é para o teu conforto eu faço esse esforço. Já não sei andar sem estar com a mão na barriga e algumas pessoas até riem, dizendo que não tenho barriga o suficiente para ficar acariciando. Quem são elas? Ninguém muito importante ou pessoas que se crêem importantes demais, entendidas demais. Mas não pessoas o suficiente para entender o que se passa aqui dentro, com a gente. Pois como já disse e sempre repito, só nós entendemos o que acontece aqui dentro.

Não sei andar pelas ruas sem observar o meu reflexo nas vitrines, desfilo nossa barriga com o maior prazer e com um imenso sorriso no rosto. Dizem que estou mais bonita e certamente estou mesmo. Tenho me namorado tanto, sorrio muito mais do que antes...

...tenho me amado muito mais do que todas as outras vezes que acreditei em amor próprio.

-

"O que não é planejado emociona bem mais do que confirmar expectativas." Fabrício Carpinejar